sábado, 3 de setembro de 2011

Camarão de ferradura, um dos "fósseis vivos" mais antigos do planeta (300 milhões de anos)

O Triops cancriformis, ou camarão de ferradura (não deve ser confundido com o caranguejo-ferradura), é uma espécie ameaçada de camarão encontrado na Europa. A espécie é considerada ameaçada no Reino Unido e em muitos outros países europeus. Em cativeiro eles geralmente crescem até 6 centímetros , no entanto, na natureza eles podem atingir tamanhos de 11 cm.A população do Reino Unido de camarões ferradura está limitada a dois locais: Wetlands Caerlaverock na Escócia, e uma lagoa em New Forest. Esta espécie é considerada uma das espécies mais antigas de vida no planeta com cerca de 300 milhões de anos. Fósseis desta espécie foram encontrados no período Triássico Superior (Norian) e parecem praticamente inalterados em relação a membros modernos da espécie.
Desde que a vida começou na Terra, a biodiversidade tem sido várias vezes devastada em eventos de extinção em massa. Os camarões ferradura, têm sobrevivido pelo menos a três ondas de extinções devastadoras mantendo um notável e estável modo de vida, com a mesma forma de corpo. Fósseis destes animais de mais de 300 milhões de anos, são idênticas às espécies vivas hoje, então eles são considerados um dos "fósseis vivos" mais antigos.O camarão ferradura é realmente um sobrevivente extremo, ele sobreviveu aos dinossauros e mamutes, para citar apenas algumas bem conhecidas criaturas que em algum momento co-existiam com ele, todos se extinguiram e ele permaneceu com sua forma inalterada.
Há alguns anos, um estudante alemão entusiasmado, Thorid Zierold, realizou estudos no laboratório da Universidade de Hull para realizar uma pesquisa genética sobre o camarão ferradura. Esta foi uma grande oportunidade para lançar alguma luz sobre o mistério: como é que estes organismos conseguiram o feito extraordinário de resistência? Será que eles têm algo especial, um "kit de sobrevivência" ou têm apenas muita sorte?As dezenas de espécies deste camarão vivem em lagoas sazonais, de água doce, em regiões temperadas, desertos e até mesmo no Ártico, e são comumente encontrados em grandes números. A característica mais imediata que aparece para ajudar a sobrevivência deste animal é que eles produzem ovos que são extremamente resistentes a condições hostis. Estes ovos resistentes suportam dessecação; temperaturas extremamente altas, até ao ponto de ebulição, o congelamento, e mesmo enzimas digestivas - isso permite que os ovos sobrevivam quando os adultos que os carregam são comidos por pássaros.
Estes ovos também são latentes, ou seja, eles não chocam imediatamente, apenas quando estiverem em condições favoráveis e podem sobreviver em um estado de "animação suspensa" durante anos, possivelmente até mesmo vários séculos. Eles podem acumular-se nos sedimentos da lagoa formando "bancos de ovos" e isso permite que as populações persistam ao longo dos períodos adversos. Além disso, os ovos podem se dispersar entre lagoas nos pés das aves ou em cascos de animais.
Suas populações podem 'desaparecer', dando a impressão de extinção, apenas para reaparecer de repente. Outra pista interessante para as suas capacidades de sobrevivência poderia estar em seu modo de reprodução. Apesar de seu extremo conservadorismo na forma do corpo, eles mostram diversos modos reprodutivos, incluindo machos e fêmeos em separado, hermafroditismo (indivíduos com testículos e ovários), e androdioecy. Primeiramente descrita por Charles Darwin, androdioecy é um modo extremamente raro para a reprodução, em que as populações são feitas de hermafroditas e proporções variáveis de machos.


Fonte: http://planetearth.nerc.ac.uk

6 comentários:

allan disse...

e mesmo assim trocam o nome e vendem como brinquedos!veja no site:http://www.triops.com/

(e eu tenho um!)

Surprise Link disse...

Convido você a participar do agregador de links www.surpriselink.com, você vai se surpreender...

THiago_B disse...

Que massa o bichinho veio.
Esse sim está bem adaptado ao planete agua, digo terra.

Vitor disse...

Parece o Kabuto de Pokemon...

Paulo Augusto disse...

Excelente gerador de visitas para blogs.

Cadastre seu blog aqui: www.zeemp.com

LilithHohenheim disse...

O texto não faz muito sentido. Não é necessário explicar como o animal sobreviveu até os dias atuais, afinal todas as linhagens de todas as espécies vivas hoje sobreviveram. O que é intrigante é a quase ausência de mudanças dos fósseis para os exemplares vivos. Isso dos animais e ovos resistentes etc. não explica nada do fato de eles estarem vivos hoje.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...