quinta-feira, 4 de novembro de 2010

O silencioso Bongo (Tragelaphus eurycerus)

A pelagem é castanho-avermelhada brilhante, com riscas brancas verticais (10-15) no dorso e uma crescente branca no peito. A face é negra com duas manchas brancas próximas aos olhos, sendo mais escura juntamente com todo o corpo no macho. As orelhas são grandes margeadas de branco no interior. A região de união entre o maxilar inferior e o pescoço é dotada de duas manchas brancas pouco acima desta.

Os olhos são castanhos com a pupila negra. Ambos os sexos têm cornos em lira e de espiral única, de 75 a 100 cm de comprimento, variando em cor de branco ao marrom, dentro das subespécies. Os cornos costumam maiores nos machos e menores, mais finos e mais paralelos nas fêmeas. Existe uma crina erétil preta e branca ao longo do dorso. As pernas longas são cobertas externamente por uma penugem marrom-enegrecida e ao interior com branco. A cauda longa é branca e termina num tufo de pêlos negros.

O macho acasala com uma única fêmea. O período de gestação é de 282 a 287 dias, após os quais nasce uma cria. Os nascimentos dão-se principalmente em dezembro ou janeiro, no seu habitat natural. As crias são deixadas sozinhas após o nascimento, permanecendo no solo, para evitar a detecção de predadores. A genitora retorna para sua cria para tratá-la após esse período. Atingem a maturidade sexual entre os 20-30 meses de idade.

São animais tímidos e silenciosos, que se mantêm a coberto da vegetação durante o dia e procuram alimento ao crepúsculo e durante a noite. Podem alimentar-se em campos de cultivo, em ramos, e pode se erguer nas patas traseiras para, apoiando as dianteiras num tronco, de modo que possa alcançar folhas que estejam a até dois metros e meio do solo.

Come também talos de arbustos e trepadeiras, e com freqüência come madeira podre e cascas de árvore. Deslocam-se facilmente na floresta, podendo correr a grande velocidade. Raramente abandonam o seu território. Os machos são, geralmente, solitários e as fêmeas reúnem-se em pequenos grupos com as crias. Podem formar-se grupos maiores compostos por indivíduos de ambos os sexos, de até 40 indivíduos (a média observada é de pouco mais de 9).Ocorre na África centra, em Angola, Benin (talvez regionalmente extinto), Burkina Faso, Camarões, República Centro-Africana, Congo, República Democrática do Congo (ex-Zaíre), Costa do Marfim, Guiné Equatorial, Etiópia, Gabão, Ghana, Guiné Bissau, Quênia, Libéria, Mali, Níger, Serra Leoa, Sudão, Togo (talvez regionalmente extinto), Uganda (regionalmente extinto).


Fonte:
http://zoo.sapo.pt

Um comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...