terça-feira, 11 de maio de 2010

Múmias de crocodilo do Egito Antigo

Há um crocodilo real por trás dessa máscara, de acordo com a nova tomografia computadorizada (TC) de uma múmia egípcia de 2.000 anos de idade (foto). Os 8 pés de comprimento (2,4 metros)do artefato envolvido em lençóis que já foi uma vez colorido e equipado com uma máscara estilizada é uma das duas múmias de crocodilo digitalizados este mês na Escola de Medicina de Stanford, na Califórnia.
O escaneamento do sarcófago acima mostra uma mistura "de partes ósseas" de pelo menos dois crocodilos do Nilo, incluindo dois crânios, um osso do ombro, e, possivelmente, um fêmur, de acordo Allison Lewis, do Phoebe A. Hearst Museum of Anthropology em Berkeley, Califórnia, onde as múmias foram mantidas.
De origens desconhecidas, os feixes de múmia foram comprados pelo filantropo Phoebe Hearst, no Egito, na virada do século 20. Os artefatos foram recentemente restaurados e estudados antes de entrar em exibição nesta semana no novo centro de exposições do museu, "Conservator's Art: Preserving Egypt's Past."
A mumificação dos animais era uma prática comum entre os antigos egípcios, e milhares de crocodilos foram embalsamados e enterrados em valas comuns como oferenda ao deus crocodilo Sobek, de acordo com o museu.

Com 5,5 pés de comprimento (1,7 metros) a múmia adulta do crocodilo esta cercada por mais de 30 bebês crocodilos mumificados.Em volta de um pai é uma forma comum de locomoção para os jovens crocodilos do Nilo, dizem especialistas. Os bebês tinham sido originalmente envolto em linho, amarrado com caules de palma, e atados até o crocodilo adulto através do bálsamo de mumificação, usado por embalsamadores no antigo Egito, de acordo com o blog Hearst do museu de conservação.
O bálsamo sobre os crocodilos, uma mistura de resina de árvore conífera, cera de abelha e gordura, foi a mesma substância usada para mumificar humanos, contestando a idéia de que os animais receberam tratamento mais barato, mais superficial na sua mumificação, de acordo com o blog.


Mas a substância já tinha degradado ao longo do tempo, e alguns dos crocodilos jovens tinham caído ao longo dos anos. O museu usou um adesivo sintético para recolocar os bebês.Em baixa resolução o scaneamento da múmia de crocodilo (como uma menor digitalização), muitos detalhes permaneceram escondidos. Mas, com uma alta resolução (como o que está em abaixo) capturou alguns "emocionantes" novos detalhes, segundo museu Hearst.Por exemplo, na barriga do crocodilo os investigadores encontraram restos de presas e um anzol, que posteriormente foi demonstrado serem compatível com a tecnologia de anzol egípcia, disse Lewis.

O gancho que o crocodilo possivelmente teria ingerido juntamente com a sua última refeição, sugerindo que foi provavelmente feita de bronze, acrescentou o museu.O tomógrafo amplamente utilizado no mundo médico,estão se tornando um "instrumento poderoso" para o estudo de múmias, de acordo com o blog do museu Hearst conservação.Por exemplo, a tomografia computadorizada da múmia do faraó Tutancâmon sugerem que o rei Tut pode ter morrido de complicações decorrentes de uma perna quebrada e não foi vítima de um assassinato a sangue frio.

3 comentários:

Moconho disse...

isto é soberbo.

Karla disse...

Nossa tô até confuso...
Muita informação pro meu HD!

24081991 disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...