sexta-feira, 16 de abril de 2010

A Internet pode diminuir os problemas de refrigeração utilizando água quente

É fácil pensar na Internet como algo que está "lá fora" no ciberespaço, que não afeta o mundo físico, de qualquer forma tangível. Em 2009, no entanto, estimou-se que os centros de dados da internet em todo o mundo consumiram cerca de 2% da produção de eletricidade a nível mundial. Este consumo provoca duas complicações, a primeira sem dúvida, é o uso de eletricidade proveniente de fontes não-verdes, o segundo, o custo da economia global de aproximadamente 30 bilhões de dólares. Grande parte da eletricidade é necessária para os "sistemas de refrigeração”, que livram os servidores do superaquecimento. Agora, pesquisadores da IBM de Zurique e o Instituto Federal Suíço de Tecnologia de Zurique (ETH) desenvolveram um método muito mais eficiente para resfriar seus computadores – o uso de água quente.

Por que água?

O arrefecimento líquido é, por natureza, o mais eficaz método de refrigeração, porque a capacidade térmica da água é 4.000 vezes maior do que o ar. Além disso, uma vez que o calor é transferido para a água, ele pode ser tratado de forma mais eficiente. No modelo da EHT, a água aquecida do seu servidor pode mesmo fornecer calor para a comunidade local.

Mas porque a água quente?

A água gelada tem sido usada para resfriar os mainframes, mas há um problema – a refrigeração da água exige muita energia elétrica. O processo Suíça usa a água que é de 60-70C (140-158F), que ainda é frio o suficiente para manter os chips dos servidores abaixo da sua "linha vermelha" de 85C.

Como funciona

Computadores e muitos outros aparelhos elétricos dissipam o calor, usando algo chamado de dissipador de calor. Os dissipadores de calor parecem uma linha vertical de espaçadas lâminas de metal retangular,que dissipam o calor produzido e eles trabalham não muito diferente do que as enormes orelhas de um elefante que possuem a sua própria área de refrigeração. O processo da ETH e da IBM “usa o que eles chamam de dissipador de calor microfluídico”. Ele contém uma rede de pequenos canais onde a água é bombeada através deles, absorvendo o calor do metal ao longo do caminho.

video

Para demonstrar sua tecnologia, a IBM e a ETH estão criando um supercomputador chamado Aquasar, que deve ser concluído este ano. O Aquasar será instalado no campus da ETH, e irá fornecer calor para os seus edifícios. Ele funcionará como um sistema fechado, de modo que a mesma água vai esfriar os servidores e lançar o seu calor nos edifícios, em seguida, retornar para o computador para esfriar novamente. Prevê-se que o novo sistema irá reduzir no campus o arrefecimento da pegada de carbono em mais de 85%, e economizar até 30 toneladas de CO2 por ano.

Fonte:http://www.gizmag.com

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...