quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Oito criaturas da Terra que poderiam ser extraterrestres

De bactérias que podem sobreviver dentro de rochas, de micróbios que podem resistir à radiação, frio e calor tremendo, a vida pode ter algumas formas extremas. Estas criaturas empreendedoras revelaram não apenas a capacidade de resistência da vida na terra, mas a possibilidade de ter vida em outro lugar no universo. Aqui estão alguns exemplos dos chamados extremófilos que são especialmente surpreendentes:

1. Algas Dunaliella:

Alguns organismos tais como as algas Dunaliella, descobertas em 2010 em uma caverna no deserto do Atacama no Chile podem prosperar em muito pouca água. Apesar de viver no lugar mais seco na terra, esses micróbios crescem em cima de teias de aranha para capitalizar orvalho – os parcos montantes de umidade do ar que condensam nas teias no período da manhã.

2. Hyperthermophiles:

Hyperthermophiles, são espécies que prosperam em ambientes extremamente quentes. O gênero Aquifex de bactérias, por exemplo, foi encontrado vivendo em fontes termais no Parque Nacional de Yellowstone, onde as temperaturas podem chegar a 205 graus Fahrenheit (96 graus Celsius).

3. Thermococcus:

Uma outra espécie extrema, o micróbio Thermococcus, pode sobreviver com tão pouca energia que até agora a reação química que usa não foi pensada ser capaz de sustentar a vida. Estes organismos foram encontrados vivendo em Papua-Nova Guiné perto de hidrotermais de profundidade onde a água super-quente escoa fora da crosta da terra. Para complementar seu uso parcimonioso de energia, os micróbios podem sobreviver em temperaturas extremas, escaldante demais para a maioria das criaturas.

4. Halobacterium halobium:

Tolerantes a sal os microrganismos "halophilic" podem suportar concentrações de sal que iriam murchar muitos seres vivos. Um exemplo é o Halobacterium halobium, bactéria, que evoluiu para viver em ambientes com 10 vezes mais sal do que água do mar, como o salgado Lago de Owens da Califórnia.

5. Psychrophiles:

Alguns micróbios, chamados psychrophiles, encontrados no gelo polar, geleiras e em águas do oceano profundo podem suportar frígidas temperaturas tão baixas como 5 graus Fahrenheit (menos 15 graus Celsius). Eles consistem principalmente de bactérias, fungos e algas e contem enzimas que são adaptadas para funcionar a baixas temperaturas. Eles foram encontrados, por exemplo, no Ártico e debaixo de folhas de gelo na Sibéria.

6. Deinococcus radiodurans:

A bactéria Deinococcus radiodurans pode sobreviver a 15.000 doses de radiação, onde 10 iriam matar um ser humano e necessitaria de 1.000 doses para matar uma barata. Esta espécie, na verdade, é exemplar em muitos aspectos, englobando também a capacidade de sobreviver ao frio, desidratação, vácuo e ácidos. O Guinness Book a considera como a bactéria mais difícil de morrer do mundo.

7. Endoliths:

Endoliths são organismos que vivem dentro de rochas ou outros pontos impermeáveis à vida, como em fendas ou entre grãos de minerais. Essas espécies foram encontradas a mais de 2 milhas (3 km) abaixo da superfície da terra e podem viver locais ainda mais profundos. A água é escassa nessas profundidades, mas alguns estudos sugerem que estes organismos se alimentam de ferro, potássio ou enxofre.

8. loriciferan:

Esta criatura recém-descoberta é um loriciferan, identificado como uma espécie do gênero Spinoloricus. Ele tem se especializado em sobreviver sem oxigênio. Com um tamanho de 50 mícrons, este organismo realmente é impressionante.

Fonte: http://www.livescience.com

Um comentário:

Unknown disse...

Muito bom .Apreciei está matéria.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...